Mas por que procrastinamos? ? Série Diário de um Procrastinador

Essa é a pergunta que quero responder. Afinal, para que eu escreveria um diário?

Eu não sei se você já postergou algo que precisava ser feito. Eu já e é normal ? ainda que não seja natural ? pra mim. Aprendi muito sobre o assunto com John Perry, na Arte da Procrastinação; mais especificamente, com o ensaio escrito por ele e publicado no primeiro capítulo: Procrastinação Estruturada. Mesmo que você não seja um procrastinador compulsivo, leia o livro, pois vale a pena.

A base do autor para a procrastinação estruturada é o empirismo; é a observação de como acontece a sua própria procrastinação.

Na primeira leitura, você não leva muito a sério o que é dito. É como se dissessem para alguém que gosta do preto: “Não é que você goste do preto. O que acontece, na verdade, é que você não gosta do branco.”

Você pensa: “Esse sujeito pirou!”. Mas à medida que eu lia o livro, fui me identificando com cada ação do autor, com a impressionante semelhança de atitudes.

Eu não sei quando me tornei um procrastinador e não sei como alguém se torna um procrastinador ou se já nasce assim. Eu sei que em 2000 escrevi um texto intitulado O Solucionador (quem quiser ler, o link está no final desse capítulo) que poderia, muito bem, ser “O Procrastinador em Ação”.

O procrastinador trabalha pra caramba. Ele não “empurra com a barriga”. Quem faz isso é o vagabundo, é o AsPoNe*. O postergador é capaz de postergar uma tarefa para concertar uma tomada, por exemplo. Todos vão usufruir da tomada concertada e, portanto, foi uma tarefa útil. Como diz o John Perry, o macete é sempre encontrar uma tarefa que seja mais urgente e, então, ela será postergada enquanto fazemos aquela que, agora, não é tão urgente.

Eu estou escrevendo e “vendo” como isso é coisa de maluco, mas funciona. Eu ainda não sei porquê, mas funciona.

Eu acho que nem todos procrastinadores postergam em todos os campos. Eu não sou, por exemplo, um  procrastinador ? salvo exceções ? quando se trata de dinheiro ou do pedido de um amigo, ou até de algo que um terceiro esteja dependendo. ? Pensando um pouco mais, as vezes fica uma dúvida se sou, mesmo, um procrastinador ou apenas… humano?

Um postergador “verdadeiro” poderia ser um empreendedor? Acho que não, ou ao menos, não totalmente. Então, como fica? Eu sou um postergador ou sou um empreendedor? Pois eu sei que empreendo e quanto ao sucesso desses empreendimentos… são muitas variantes, mas sei que não sou um fracasso.

Bem, pessoal, vou tentar aproveitar esses dois últimos dias ma praia.

Nos veremos, talvez, na próxima semana. Não esqueçam que a série está no Warrpad, bem aqui.

Beijos em todos.

_____________________________________________________________________________

* Assessor de Porra Nenhuma

O Solucionador (http://silvio.correa.nom.br/blog/artigo/o-solucionador/)