Voto no cidadão e não no partido.

Nunca me engajei em qualquer partido político, pois não acredito neles. Dou crédito a um candidato para um determinado cargo e nessas eleições de 2014, ponho muita fé no Aécio Neves. Acho que será um ótimo presidente.

Texto sobre política, ou tema afim, não é o meu mote preferido, mas uma grande amiga questionou o porquê de as pessoas terem tanta raiva da Dilma e achei que eu deveria responder a ela, e a mim mesmo.

Como professor e facilitador de treinamento, sempre fui inclinado a fazer comparações, tentando trazer o debate para bem próximo.

O brasileiro, independente de partido, é um empreendedor. É natural. Quase faz parte da “genética” do brasileiro. Acredito que a maioria de nós já teve ou tem um empreendimento qualquer. Vamos imaginar, então, dois empreendimentos: uma agricultura familiar e uma empresa multinacional.

O responsável pela agricultura familiar — vamos dizer que seja eu ou você —, percebe que já não dá mais conta, sozinho, de gerenciar o seu negócio e conclui que precisa contratar um gerente, para ajudá-lo na tarefa. Um dos currículos que recebe, diz que o candidato regou algumas plantas para sua mãe na época de adolescência. Você o contrataria?

Agora, uma multinacional é fundida com uma outra multinacional e resolvem buscar no mercado, um profissional para exercer o cargo de presidente. Fosse você ou eu, responsável pela seleção, será que, sequer, indicaríamos o currículo de um profissional recém formado, onde a maior experiência que teve foi ser gerente de um mercado de secos e molhados? Eu não indicaria.

Não é uma questão de ter, ou não, raiva da Dilma. A questão é que ela não é competente, pois falta-lhe bagagem, estofo, para ser presidente do Brasil, e quando questionada, rebate que é a favor de qualquer cidadão ser presidente do país.

Hoje eu não gosto do Lula, ainda que tenha votado nele em 1989 e 2002. Tornou-se arrogante e prepotente. Perdi a confiança no cidadão Lula, mas reconheço que o governo comandado por ele fez coisas boas pelo Brasil, independente de ser ou não, criação do seu governo. Mas também não gosto do Alckmin e não voto nele por nada. Também não votei em Serra para presidente, mas creio que será um ótimo senador.

Então, como já disse, estou votando no Aécio Neves, candidato que acompanho, de perto, desde 2008, quando enxerguei nele um bom presidente. Não estou votando no PSDB.

Deixo uma dica que para mim foi útil quando acreditei que deveria ser um cidadão mais politizado. O curso de Ciência Política do Veduca (sistema de ensino à distância). É um excelente curso.

Abraços,