2015

Baixar como e-book

Pessoal, foi um ano porreta, não foi não!!!???

Tivemos Copa do Mundo, eleições… o que mais? Vamos gente, ajuda! Ah, “O Casamento do Saci-Pererê” foi lançado em inglês, com o título “Party in the Wood” e tenho planos para no início de 2015 lançar o infantojuvenil “O Milagre do Carvão”, em português. Hummm… deve ter mais coisa e eu não estou lembrando. A memória não anda lá muito boa. Ah! Mas o que importa? É final do ano! Em 2015 é vida nova. A trolha será grande, mesmo que a Dilma e seus amiguinhos do capeta tenham dito que nada mudaria, foi tudo mentira, cascata, conversinha de engana-trouxa. A pancada vai doer em mim e em você, mas não na Dilma, pois foi ela e os amiguinhos que prepararam a cama que iremos deitar; sabe como é: Quem corre por gosto, não cansa. Poxa, eu ia esquecendo da falta de água; um presentaço do Geraldo que continua insinuando que o problema é de Deus.

Bem, mas estamos no final de 2014 e precisamos agradecer. Ah, não vem não! Sempre há algo a agradecer.

Eu agradeço, primeiro, por estar vivo e com um bom grau de saúde. Agradeço pela minha esposa, Walkíria, pelos meus filhos, Thiago e Nathália, pelos meus irmãos, Sergio e Francisco, e suas famílias. Agradeço pelo privilégio de fazer três refeições diárias, por morar sob um teto, por ter um ofício, por ter amigos, ainda que poucos. Agradeço por já ter feito muito do que eu queria fazer na vida, ainda que não tenha feito tudo, não importa, pois continuarei fazendo.

Acho que eu gostaria de poder salvar o mundo e de proporcionar a paz mundial, mas fico pra lá de satisfeito quando consigo ajudar alguém. Isso já é uma maravilha.

É claro: quero que 2015 seja melhor que 2014, mas não tão bom quanto 2016 será. Quero que chova bastante pra melhorar a situação das nossas represas, mas não sou de ferro e quero que o sol também surja trazendo muita alegria. Que a política… bem, nesse caso não há muito a desejar, pois “temos o que temos”, e só. Mas gostaria que as pessoas fossem mais agradáveis com as outras; que, pelo menos, desejassem que elas fossem felizes; que torcessem pelos colegas e amigos, tendo-os em suas orações. Caramba, a gente não se dá conta, mas quando colocamos no papel, vemos o quanto queremos “coisas”. Acreditem: quero muito mais.

Mas agora, quero dizer que estou torcendo por vocês, mas não pensem que sou bonzinho. Torço por vocês e quero que sejam felizes, pois acho que é a única maneira desse mundo funcionar. Só tenho legibilidade para pedir a sua ajuda, se eu também ajudo; e apesar disso ser muito claro e lógico, parece que falhamos muito nesse ponto.

É isso pessoal. Que Papai Noel venha com tudo e que 2015 se prepare para nós, pois estamos chegando.

Deixe uma resposta

três × 5 =